BlogMuseus, Palácios e Igrejas

Igreja do Sangue Derramado – Porque Esse Nome?

Posted

A Igreja da Ressurreição do Salvador é mais conhecida como  Igreja do Sangue Derramado por ter sido construída no local onde o Czar Alexandre II foi assassinado. É belíssima por dentro e por fora, um dos ícones da Rússia e um dos 10 lugares mais fotografados no mundo.

A Igreja foi construída por ordem do czar Alexandre III em homenagem ao seu pai que havia sido assassinado no local 2 anos antes.  Em 1º de março de 1881, Ignatius Grinevitsky, um terrorista do grupo radical marxista chamado Vontade de Povo, jogou uma bomba embaixo da carruagem do  imperador Alexandre II. O czar, chamado Czar Libertador por ter abolido a servidão na Rússia, ficou muito ferido e morreu 4 horas depois no seu palácio. Dentro da Igreja há uma marcação no exato lugar onde caiu o imperador sangrento.

O czar Alexandre III, filho do czar morto, era um adorador da cultura russa tradicional, nacionalista e patriota por isso pediu que se construísse um monumento com estética puramente russa.

  • O belo templo de nove cúpulas é construído no estilo de arquitetura neo-russa ou neo-bizantina.
  • As cinco cúpulas centrais da igreja são  revestidas de cobre e esmalte de diferentes cores.
  • O esplêndido piso de mármore é composto por 45 mosaicos que nunca se repetem. O piso foi executado em Génova na Itália.
  • A parte mais importante da igreja ortodoxa é o altar que se chama iconostase, e que fica sempre voltado para o oriente. Nessa igreja o iconostase não é feito de madeira como nas tradicionais igrejas russas, mas com vários tipos de pedras que imitam a cor e a textura da madeira.
  • São mais de 7 mil metros quadrados dos mais lindos exemplares de mosaico russo, que usa pedaços de pedras semipreciosas no lugar de cerâmica pintada. Essa maravilha é considerada uma das maiores coleções de mosaicos da Europa.

Czar Alexandre II

Vida Politica:

Basta olhar para o retrato desse homem bonito com um bigode elegante, em um luxuoso uniforme militar com dragonas e ordens que fica claro diante de nós que ele foi um grande imperador. Entrou na história por ter conduzido as reformas liberais e modernizantes e por seu desejo de renovar a sociedade russa.Os Romanov: Czares da Rússia - Alexandre II e Família

Reorganizou o exército e a marinha, reformou a administração judicial, editou o novo código penal e renovou  sistema civil. Ele acreditava que a Rússia precisava seguir o modelo europeu para se tornar mais poderosa. Em 19 de fevereiro de 1861 decretou o fim da servidão na Rússia. Libertou  mais de 22 milhões de camponeses servos o que lhe deu o apelido de “Czar Libertador”. Apesar da modernização do Império Russo à luz do modelo ocidental, o país  preservou a sua própria identidade, mantendo suas tradições, assim como a sua  alma.

Vida Privada:

A 16 de abril de 1841, com vinte-e-três anos, Alexandre II casou-se com a princesa Maria de Hesse-Darmstadt que depois de se converter à Igreja Ortodoxa passou a ser conhecida por Maria Alexandrovna. Maria ainda não tinha completado 17 quando se casou. A adaptação de Maria à Rússia foi extremamente difícil. Era muito tímida e odiava festas, bailes e até simples encontros com a família do marido. Apesar das dificuldades o casamento foi bastante feliz nos primeiros tempos. Maria conseguiu cumprir a sua principal função como imperatriz, dando à luz oito filhos, a maioria do sexo masculino, durante os primeiros vinte anos de casamento.

Maria Feodorovna (Dagmar da Dinamarca) – Wikipédia, a enciclopédia ...Czarina Maria Feodorovna

Em 1864, Alexandre conheceu Catarina Dolgorukov, sua grande paixão. Tiveram uma longa relação que durou 22 anos, até a morte do imperador. O casal teve 4 filhos.

Em 1880 Alexandre decidiu levar Catarina e os filhos para residirem no terceiro andar do Palácio de Inverno por uma questão de segurança, já que  temia que eles pudessem se tornar alvo de um atentado terrorista. A mudança para Palácio de Inverno foi um escândalo! A imperatriz, que estava gravemente doente, ouvia os filhos ilegítimos do marido no andar superior. Apesar de tudo, Alexandre e Maria ainda continuavam bons amigos e a imperatriz chegou mesmo a pedir para conhecer os filhos de Catarina. Alexandre levou os dois mais velhos, Olga e Jorge, e Maria abençoou-os e beijou-os entre lágrimas.

Os czares nunca se casavam com as amantes. Alexandre II foi a única exceção. Casou-se com Catarina apenas 20 dias depois da morte da esposa.

No dia 13 de março de 1881, menos de um ano depois do casamento, teve lugar um evento terrível para toda a Rússia. Alexandre foi assassinado por um grupo de revolucionários em um atentado à bomba. Quando Catarina soube que o seu marido tinha sido ferido mortalmente correu até a sala do Palácio de Inverno para onde ele tinha sido levado e assistiu aos seus últimos minutos de vida rodeada pela família dele.

Depois da revolução de 1917 a religião foi quase proibida no novo país chamado de União Soviética. Os bolcheviques destruiram 35.000 igrejas e também tinham na mira a Igreja do Sangue Derramado. O novo governo achava que o templo atrapalhava o trânsito da cidade. Por algum milagre a igreja não foi destruída mas sofreu durante anos com o abandono e a falta de cuidado. Mais tarde foi restaurada e atualmente é visitada por turistas de todo o mundo durante os dias de semana. No sábado, domingo e durante feriados religiosos às 7 horas de manhã  são realizadas as missas ortodoxas abertas ao público.

Colaboração Catarina Semenova – guia e receptivo em São Petersburgo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *