BlogBrasilPasseios

Góias Velho, a Cidade que Parou no Tempo

Posted

A cidade de Goiás Velho parece uma daquelas cidadezinhas de novela de época do interior brasileiro. Ruas de pedra e casas de pau a pique, igrejas pintadas de branco e azul, carroças passando, pessoas tomando a “fresca” na praça montam o cenário. Goiás Velha conserva mais de 90% da arquitetura barroca colonial do séc. XVIII e por isso pertence ao Patrimônio Histórico e Cultural da UNESCO.

Foi o bandeirante Bartolomeu Bueno da Silva que fundou a cidade em 1736 durante a corrida do ouro. Naquela época a cidade foi denominada Arraial de Santa Anna. Além da paisagem magnifica a beira da Serra Dourada e da arquitetura preservada Goiás Velho é palco de muitas festas religiosas, tem boa gastronomia, museus e casas centenárias. Tudo isso faz dela um destino ideal para fugir da rotina frenética das grandes cidades.

A Igreja do Rosário se destaca na praça onde aos fins e semana acontece uma simpática feira de artesanato. O museu mais popular da cidade é o Museu Casa de Cora Coralina. Na casa que fica às margens do rio Vermelho viveu uma das mais importantes poetisas do Brasil, Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, a Cora Coralina.

Não perca também o Espaço Cultural Goiandira de Couto onde é possível ver as pinturas com areias em mais de 500 tonalidades. Outra dica imperdível é visitar o Palácio Conde dos Arcos, a primeira sede do governo de Goiás construída em 1751. A casa com amis de 30 cômodos em estilo português é hoje um museu com belíssimo acervo mobiliário e peças antigas.

Restaurantes que servem a ótima comida regional estão  ao redor da Praça do Coreto, no Centro Histórico. Lá também existe uma ótima pizzaria, a Ouro Fino, bares e lojinhas e docerias.

A presença da igreja católica é forte e se vê nas inúmeras paroquias, na arte sacra das igrejas e nos eventos religiosos como a conhecida Procissão do Fogaréu. Essa tradicional procissão acontece desde 1745 e marca o inicio da Semana Santa reunindo mais de 20 mil pessoas.

A concentração se dá em frente da Igreja Nossa Senhora da Boa Morte onde 40 farrirocos partem em procissão carregando tochas de fogo até a igreja de São Francisco.

Para se hospedar com conforto o Hotel Fazenda ManduZanzan é uma boa pedida. Tem ótima estrutura de lazer e o restaurante oferece uma das melhores cozinhas de Goiás, tudo feito no fogão a lenha.

                  Outra possibilidade é ficar na Pousada do Ipê no Centro Histórico é uma boa pedida. 

Para quem gosta de natureza, trekking e banhos de cachoeira não perca o Santuário Ecológico Poço do Sucuri e o Parque Cachoeira das Andorinhas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *