Museu do Levante de Varsóvia

O Museu do Levante de Varsóvia é uma homenagem à luta armada chamada “Levante de Varsóvia”, que aconteceu no final da Segunda Guerra Mundial. O ato durou 63 dias e levou à completa destruição da cidade, tentando libertá-la do controle da Alemanha nazista.

Esse foi um dos momentos mais dramáticos da guerra, onde por pouco os poloneses não conseguiram reverter a luta e retomar a cidade dos nazistas. Essa é a história que o Museu do Levante de Varsóvia conta de forma inovadora.

A sensação que se tem ao percorrer a exposição é que a qualquer momento um bombardeio vai devastar tudo à sua volta. Localizado no centro histórico da capital polonesa, trata de um dos mais vivos testemunhos do que foi a resistência dos poloneses às invasões do exército alemão.

Por apenas quatro zlots (não muito mais que R$ 6), o visitante pode descobrir como era viver e lutar, na Varsóvia de agosto 1944, mês do início da resistência que marcou a destruição quase total da cidade e a capitulação final da Polônia.

É preciso lembrar que o Levante do Gueto de Varsóvia havia ocorrido um ano antes (em 18 de janeiro de 1943) quando, diante da certeza de que não estavam sendo enviados para campos de trabalho forçado, mas para campos de extermínio em massa, os poucos judeus que ainda sobreviviam a anos de maus-tratos resolveram morrer com honra em vez de serem simplesmente esmagados pelos nazistas.

Os poloneses que comandaram o Levante de Varsóvia ainda viam um fio de esperança no fim dos túneis que cavaram e por onde percorriam os subsolos da capital.

Um pouco de história…

Tudo começou em 1º de agosto de 1944. A população judaica de Varsóvia já havia sido dizimada. A destruição, com a tomada dos bairros judeus e a criação do gueto, atingia a fase final. Foi então que os resistentes poloneses resolveram formar o Exército Clandestino Polaco (Armia Krajowa) e resistir com poucas armas, a maioria improvisada.

Às 17 horas do dia 1º, a Operação Tempestade (Operation Burza) deu início à luta ingrata de soldados e civis (entre eles, muitas mulheres e crianças). As tropas polonesas resistiram às forças alemãs até 2 de outubro de 1944. Foram 63 dias de batalha. A Polônia perdeu 18 mil soldados – outros 25 mil ficaram feridos – e mais de 250 mil civis, a maioria morta em execuções em massa. Do lado alemão, 17 mil soldados morreram e 9 mil ficaram feridos.

Quando tudo terminou, cerca de 85% de Varsóvia havia sido destruída – mesmo depois de vencer a batalha, as tropas alemãs incendiaram todos os bairros da cidade.

O Museu…

Em cada parede, com vídeos, fotos do conflito e testemunhos dos sobreviventes, há um calendário com o dia em que os fatos ocorreram. No hall central do museu, um avião nazista original sobrevoa uma Varsóvia fictícia em ruínas.

Os sons dos bombardeios atrapalham a explicação dos guias aos turistas. No caminho que conduz à capitulação, o visitante pode percorrer uma réplica dos túneis de esgoto usados pelos resistentes. No teto, é possível ver as inscrições Uwaga! Nazi! (Cuidado! Nazistas!).

A visita ao museu é um programa imperdível para quem gosta de história.

Serviço:

Museu do Levante de Varsóvia: Rua Grzybowska, 79.

Parceiros