Castel Gandolfo agora é um museu aberto ao público

O Papa Francisco está sempre dando bons exemplos para a sociedade. Ele autorizou que o Vaticano transformasse parte da suntuosa residência de verão do pontífice, o Castel Gandolfo que fica ao sul de Roma, em um museu e o ligou à capital italiana por trem.

Se você já teve vontade de conhecer o mundo pelo ponto de vista de um Papa, agora você pode. Inaugurado em 2014, o museu tem como um de seus principais atrativos a chance de se debruçar sobre uma janela com vista para o grande pátio de onde papas anteriores a Francisco abençoaram multidões a cada domingo durante suas férias de verão.

Hoje, na desocupada vila existem sete aposentos amplos que abrigam uma galeria de retratos papais e artefatos pontifícios, como vestes litúrgicas de bordados intrincados, tronos elaborados de centenas de anos e vários pares de chinelos papais, incluindo os usados pelo papa Pio 5º, falecido em 1572.

Relembrando uma época na qual os pontífices preferiam a pompa, os visitantes também podem inspecionar o uniforme do “mazziere”, uma espécie de leão de chácara do papa na Idade Média cuja função era afastar as pessoas que se aproximassem demais do líder católico.

Revelar as instalações do palácio foi iniciativa do Papa, contou o chefe dos museus do Vaticano, Antonio Paolucci. Francisco disse “não vou a Castel Gandolfo porque tenho muito o que fazer no Vaticano”, por isso me pediu para abrir o palácio e os arredores ao público”.

Conhecido pelo seu intenso ritmo de trabalho e por sua simplicidade, o Papa Francisco, abriu mão dos apartamentos papais no Vaticano para se instalar em uma suíte da casa de hóspedes, e também não costuma tirar férias.

A visita ao Castel Gandolfo já está sendo considerada um dos melhores passeios para se fazer na cidade.

Para mais informações acesse o site do museu: www.museivaticani.va

 

Foto: Max Rossi/Reuters

Parceiros